O Casal

A tal da casa própria...

Acho que todo brasileiro tem um sonho, pode ser ele ter uma casa na praia, uma casa no campo ( queeero uma casa no campo... lembra?!), uma casa em New York (hoho), ou uma em Paris. O sonho da casa própria está nos planos da maioria da classe média assim como nós. (classe média sim, porque agora a Dilminha resolveu que eu sou classe média)
Eu penso em ter minha casa desde pequena, mas eram sonhos pequenos, sem graça, sonhos de criança. Com 20 anos eu achava que seria impossível eu conseguir comprar minha própria casa, onde já se viu uma estudante de Sistemas que ganhava 346 Dilmas por mês fazendo estágio na prefeitura, iria conseguir pagar uma parcela? Haja.
Quando entrei pra Infraero, onde hoje sou controladora de voo, minha visão mudou, até pela estabilidade salarial, benefícios, comecei a ver que seria possível.
-- Começa a parte dramática da história na qual nos esfolamos... Mas como diz o velho ditado, o que dá ibope é história ruim... 
Em Março de 2010 me mudei de Vitória, onde morei 8 meses depois que saí de São Paulo, para Belo Horizonte, e fomos morar num "Barracão" - calma não é favela - é o modo mineiro de chamar "Casa dos fundos". O dono da casa era um porre, mal humorado, não gostava de cachorro (e a gente adora!♥) e vivia sondando meu quintal, ou seja, as chances de ele me pegar desprevenida eram 10 em 8.
Neste mesmo mês, eu, (FOGO NO RABO, prazer!) saí de casa procurando uma academia e acabei voltando pra casa com um apartamento na planta... é, eu sou louca, mas na época não tinha me dado conta disso ainda.
Como diz um colega, eu quem boto ordem na casa (ééé até verdade, às vezes), então convenci o Anderson (que também vai escrever aqui comigo), a comprar porque era bom, era supimpa, a planta era ótima (eu e minha mania de arquiteta mambembe) e que blablabla e se era pra ficar em BH eu queria meu apartamento ao invés daquele barraco que a gente morava... Fizemos empréstimo (pobre adora um empréstimo By Caco Antibes), criei uma tabela de gastos (que me segue até hoje) e enfim, compramos.
A promessa era entregar o apartamento em dois anos... Pois bem... dia 20 de setembro 2013 é FOI minha audiência de conciliação para resolver o nosso paradeiro, desde que só existem Pilots no terreno do prédio ainda... Update: Claro, que o Juíz nos deu ganha a causa, porém não recebemos a bufunfa de volta ainda!. Eu tento não pensar muito nisso até ser decidido por um Juiz, até porque acredito que o que você faz para os outros volta pra você mesmo que seja no céu, mas volta. E que se isso ocorreu comigo foi para aprendizado e teste de paciência. E só pra constar, a construtora é a Sigma 3 em Belo Horizonte, e o responsável é o Senhor Carlos Tadeu de Menezes. Infelizmente mais uma construtora que abriu os olhos de mais... E sou a prova de que olho gordo não é bom.
O problema todo desse apartamento foi que, durante o período da (NÃO) obra, pagamos nossas suadas prestações porque eram realmente altas pra não ter juros, nós não fomos sequer em cinema porque 20 reais era muito dinheiro e a gente além de tudo tinha que pagar intermediárias altíssimas a cada 8 meses, ou seja, NO calça jeans, NO divertimento, NO viagens, NO visitar a família em Belém (O Anderson é de lá) ou São Paulo (Eu sou de lá), NO carro, YES busão, YES torrent, YES roupas doadas da minha mãe, YES arroz com feijão e claro, YES depressão =(. Foi uma merda todo esse período que me trouxe probleminhas comigo mesma, de aceitação da burrice, de colocar o Anderson nessa, de morar longe da minha família e me foder sozinha, foi um período que arrumei brigas no serviço, arrumava tudo que é jeito de brigar e isso me trouxe a depressão (que doencinha mais idiota, mas enfim, graças a Deus mesmo!, passou).
Em Novembro de 2011, a Infraero me mandou pra Oklahoma e me deu uma bufunfa Dilmística para estar lá, e então compramos um Siena velho (Sisi) de uma 'conhecida' sem interferir com os nossos pagamentos mensais. Vale lembrar que o Siena também foi um teste de paciência e resignação, até que bateram na Sisi e o seguro do cara pagou o preço de tabela (yuhuu) e nós demos de intermediária pro apartamento (e todos choraaa ahhh).
Quando eu vi que chegou Abril de 2012 e que meu apartamento não seria entregue, decidi que iríamos parar de pagar as prestações e entrar na justiça... meu sonho era ir pra New York e eu aqui bancando marmanjo... NEGATIVO!
Ano passado decidi que queria ir embora pra São Paulo... Eu até então não tinha exposto minha vontade, porque se fosse pra pensar assim o Anderson teria que ir pra Belém e eu ia ficar sem homem, sem casa... e quem sabe sem emprego. Uma coisa que o Anderson tinha era pavor de São Paulo, era muito grande, tinha muito concreto, muitas pessoas, muitas coisas, muito tudo... Mas até entendo isso de uma pessoa que cresceu dentro de uma cidade pequena, e agora que esse pânico passou depois de muitas visitas em São Paulo, ele então perdeu o medo e quer ir, agora é aguardar a nossa transferência pela empresa, porque ir sem emprego NO WAY ahn? Update: Nossa transferência saiu em Novembro de 2013 e estamos trabalhando em São Paulo / Guarulhos desde então.
Criamos o blog, porque estamos procurando moradia e as minhas maiores dúvidas são sobre o que comprar, se devo reformar, quanto gasta para reformar, se compensa comprar apartamento na planta, se compensa comprar um mais caro já reformado, se compensa comprar casa por causa dos cachorros e quero pesquisar e colocar tudo aqui porque imagina o tanto de casal que é tão perdido quanto nós que tem as mesmas dúvidas... Update: Já compramos o apartamento, não na planta, porém nunca habitado (procure por investidores).

Chegou a hora de procurar uma moradia com uma bela Suíte Master...♥

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...